02/06/2016

Asfalto cede e carreta fica 'afundada' mais de 24 horas na BR-116 em MG

Uma carreta foi retirada da BR-116 na tarde desta quinta-feira (2), após ficar mais de 24 horas presa em um buraco na rodovia, em trecho localizado no perímetro urbano de Governador Valadares.
Segundo o inspetor da Polícia Rodoviária Federal, Luiz Tarcisio Gonçalves, o Serviço Autônomo de Água e Esgoto (SAAE) executava obras nesta quarta-feira (1º) para conter um rompimento de adutora no local, que provocou a falta de água em dois bairros. Porém, estava isolado apenas o buraco onde os trabalhos eram realizados e, quando o motorista da carreta passou ao lado da obra, o asfalto cedeu e parte do veículo ficou preso no buraco.
A demora na retirada da carreta foi motivada por um conflito de responsabilidade. Não havia consenso se a responsabilidade de acionar o guincho seria da Prefeitura, por ser uma obra do SAAE, ou do Departamento Nacional de Infra-estrutura de Transportes (DNIT), por se tratar de uma rodovia federal.
Buraco onde roda da carreta ficou presa (Foto: Zana Ferreira/ G1)Buraco onde roda da carreta ficou presa (Foto: Zana
Ferreira/ G1)
“Houve várias controvérsias em relação à responsabilidade, de quem seria o responsável pela retirada do veículo. Pensou-se em acionar o seguro do veículo, o SAAE ou DNIT, só que esses órgãos públicos dependem de licitação para poder liberar verba para resolver essa questão. Então a PRF tomou a iniciativa de resolver essa questão em virtude da necessidade de desobstruir a pista e de liberar o terreno para que o SAAE execute a obra em virtude da falta de água nos dois bairros”, explicou o inspetor Luiz Tarcísio.
O caminhoneiro Lucidalvo José da Silva reclamou da demora até o problema ser solucionado. “Demoraram muito uma coisa tão rápido. Quando resolveram tirar, menos de uma hora liberaram a BR. Eu tive medo, acionei a seguradora. A carga não foi danificada, mas eu estava no meio da rua, sem segurança, nada de apoio de polícia nenhuma. Deixei eles cientes que se a carga fosse saqueada de noite eu não tinha como fazer nada”, desabafou o motorista.
A retirada da carreta da pista foi acompanhada de perto por moradores dos bairros vizinhos, onde falta água devido ao rompimento da adutora. “A gente estava sem água antes do caminhão cair no buraco. Eles falaram que a previsão de retomar os trabalhos era uma hora da tarde, já vai dar seis horas e ainda não começou. A gente quer que tomem uma providência, para a gente não ficar sem água”,  reclamou o eletricista João Ribeiro.
Segundo a Prefeitura, os funcionários do SAAE já estão trabalhando no reparo da adutora e permanecerão no local durante a noite, mas não há previsão de quando a água retornará aos bairros Palmeiras e Mãe de Deus.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial