26/06/2017

Proteste: Queijo minas tem mais gordura e sódio do que é informado no rótulo

Não há a menor dúvida de que uma das preferências de quem nasceu ou mora em Minas Gerais seja a combinação de queijo e café. Mais que isso: o queijo minas é um dos mais amados pelos mineiros, seja no café da manhã, da tarde, em qualquer estação do ano, por pessoas que fazem dieta ou não. No entanto, uma pesquisa da Proteste - Associação Brasileira de Defesa do Consumidor - divulgada nesta segunda-feira, que avaliou 10 marcas do queijo minas frescal, mostrou que com exceção do Keijobom, os produtos mostraram ter mais gordura total do que a indicada na embalagem – e, em alguns casos, a diferença é enorme. 

Veja a tabela abaixo:
Proteste/Reprodução

A Proteste informa que uma fatia de 30 g do Keijobom (sem sal) tem 3g de gordura total, o que é divulgado no rótulo. "Pórem, vimos que 30g do produto trazem 7,4g de gordura total, uma diferença de 145%", atestou o órgão. Segundo a legislação do Ministério da Agricultura, o queijo minas é considerado um queijo semigordo. E, para ser classificado dessa forma, o percentual de gordura na sua parte seca, ou seja, desconsiderando a umidade, deve variar de 25% a 44,9% em 100 g do produto. Porém, nossa análise apontou que, com exceção do Puríssimo (reduzido de sal), todos os produtos têm gordura na sua parte seca acima do estipulado para os queijos chamados semigordos." Neste caso, esses queijos avaliados deveriam estar na categoria gordo ou extragordo.  
 
O mesmo ocorreu com a quantidade de sódio. Em  alguns casos o produto tem 47% a mais de sódio em comparação ao que é informado no rótulo, citando o queijo "Puríssimo". Outras marcas, pelo contrário, tem bem menos quantidade de sódio do que a informada na embalagem. "Já outros dois queijo - o Quatá e o Keijobom , mostraram o contrário: têm bem menos sódio em relação ao informado", divulgou a Proteste. De acordo com o Código de Defesa do Consumidor, ao adquirir um produto, o consumidor deve ser informado clara e precisamente sobre o que está levando para casa. 
 
A Proteste recomenda também que o consumidor opte por queijos que se declarem 'sem sal' ou 'reduzido de sal', mas ainda assim atestou que algumas marcas não reproduzem as quantidades corretas em seus rótulos. "Mesmo o Puríssimo (reduzido de sal), com 47% de sódio a mais do que o indicado no rótulo, traz menos desse mineral em sua composição (69 mg em uma fatia de 30 g) quando comparado aos tradicionais. No Ipanema, que, entre os avaliados, possui o maior teor de sódio, há 105mg nessa mesma porção."  
 
Quanto à higiene e à quantidade de amido, a Proteste não encontrou irregularidades. 

Fonte:Estado de Minas

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial