domingo, 18 de novembro de 2018
33 999929633
Política

23/10/2018 às 11h00

Redação

Jordânia / MG

Para restaurar repasses, Zema pretente fazer ajuste rigoroso
Candidato do Novo voltou a criticar as gestões anteriores no governo de Minas
Para restaurar repasses, Zema pretente fazer ajuste rigoroso
Foto Reprodução

O candidato do Novo ao governo de Minas Gerais, Romeu Zema, afirmou que vai restaurar todos os repasses do Estado às prefeituras, colocando em dia a dívida que hoje chega a R$ 9 bilhões, segundo a Associação Mineira dos Municípios (AMM). Para isso, ele diz que vai fazer um rigoroso ajuste fiscal, com corte de despesas para aumentar o caixa dos cofres estaduais. Nesta segunda-feira (22), o empresário fez campanha em Uberlândia, no triângulo.


Segundo Romeu Zema, o governo de Minas fechará o ano em situação crítica e precisará de um grande esforço para equacionar as contas, principalmente porque a gestão atual desrespeitou a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF). “O Estado está terminando o ano sem caixa para cobrir despesas contratadas em 2018, o que é proibido pela LRF. Nosso plano de governo contempla a restauração de todos os repasses, com o equacionamento das contas e um rigoroso enxugamento da máquina pública. O rombo deixado por governos anteriores já ultrapassa os R$ 11,4 bi e exige medidas enérgicas para que o déficit fiscal de Minas seja equilibrado”, afirmou.


Estratégia


Para conseguir alcançar essa economia, o candidato do Novo disse atacar regalias e adotar medidas para aumentar a arrecadação. “O corte de privilégios está na ordem do dia, assim como uma nova política que simplifique a arrecadação. Nossa administração pretende atender de forma urgente às necessidades dos municípios e o povo mineiro”, analisou.


Romeu Zema aproveitou para criticar os governos anteriores, não se limitando a responsabilizar apenas a gestão do atual governador Fernando Pimentel (PT), mas também a administração do seu adversário no segundo turno, o senador Antonio Anastasia (PSDB) que governou o Estado de 2010 a 2014. “Chegamos a essa situação devido aos últimos governantes mineiros, que nunca tiveram preocupação em equilibrar as despesas com as receitas e com a eficiência da máquina estatal. A partir da abertura de um canal de diálogo, principal premissa do governo do Novo”.


Por fim, o candidato disse que pretende renegociar a dívida de Minas Gerais com a União para reduzir o comprometimento do orçamento do Estado com o pagamento de empréstimos. “Todas as medidas a serem adotadas passarão por rigorosa avaliação da equipe econômica, coordenada pelo economista Gustavo Franco”, disse.


Campanha


Nesta segunda-feira, Romeu Zema se reuniu com empresários, agricultores e pecuaristas de Uberlândia, na Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL) da cidade. Depois ele visitou uma rede atacadista da cidade. Na parte da tarde, ele era esperado em Belo Horizonte para participar do painel com os candidatos organizado pela AMM. Porém, ele alegou problemas com o horário na agenda no Triângulo e, segundo sua assessoria, não conseguiu embarcar a tempo para voar para capital mineira.


Quando sua ausência foi anunciada no painel da AMM, houve algumas vaias na plateia. O candidato do Novo viu com naturalidade a reação do público. “Com relação às vaias, vivemos em um país democrático em que as manifestações são livres”, disse.


Estrela. Para conseguir ajustar as contas públicas, a aposta de Romeu Zema (Novo) é o economista Gustavo Franco. Ele foi um dos idealizadores do Plano Real e coordenou o plano de governo de João Amôedo (Novo), candidato à presidência derrotado no primeiro turno.


 


Candidato consegue tirar do ar site criado pela campanha rival


Romeu Zema conseguiu nesta segunda-feira uma vitória judicial contra a campanha do seu adversário na disputa pelo Palácio da Liberdade, Antonio Anastasia (PSDB).A Justiça Eleitoral determinou a remoção, no prazo de 24 horas, de um site criado pelos tucanos. Segundo a equipe de Zema, o portal divulgava fake news contra sua candidatura “com clara intenção de amedrontar os eleitores”.


A decisão determinou pena diária no valor de R$ 5 mil caso o site não seja retirado do ar.


“Mais uma vez, a Justiça Eleitoral reconhece as medidas antiéticas e ilegais adotadas pela campanha adversária, desesperada com a possibilidade de perder as eleições. Romeu Zema reafirma que continua pautando sua campanha na ética e na assertividade, levando suas propostas de renovação de Minas à população”, afirmou a assessoria do candidato.


Na decisão, a juíza destacou que Anastasia confirma que sua campanha criou o site, contradizendo sua declaração no debate em que afirma não ter conteúdo em outros sites que não seja o seu oficial.


“A plausibilidade do direito invocado está consubstanciada na violação do artigo 242 do Código Eleitoral pela ausência de menção à legenda partidária e o perigo de dano é patente”, disse a juíza na decisão.


Agenda


Fake News. Zema vai se reunir nesta terça-feira (23), às portas fechadas, com o desembargador Pedro Bernardes para discutir o combate ao uso de fake news na campanha. À noite ele participa de debate na TV.

O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos o direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas. A qualquer tempo, poderemos cancelar o sistema de comentários sem necessidade de nenhum aviso prévio aos usuários e/ou a terceiros.
Comentários

0 comentários

Veja também
Facebook
© Copyright 2018 :: Todos os direitos reservados
Site desenvolvido pela Lenium