TikTok chega a 1,5 bilhão de downloads – no ano, é o único entre os 5 mais baixados que não pertence ao Facebook - Folha dos Vales

Ultimas

Post Top Ads

Rádio Divisa FM

Post Ads

19 de novembro de 2019

TikTok chega a 1,5 bilhão de downloads – no ano, é o único entre os 5 mais baixados que não pertence ao Facebook

Foto Reprodução
O
mundo das redes sociais ganhou um ator fora do eixo das gigantes tecnológicas nos últimos anos: o TikTok. A rede social fundada pela startup ByteDance segue firme em sua trajetória e atingiu mais uma marca importante: 1,5 bilhão de downloads na App Store e no Google Play.
Neste ano, o aplicativo já é o terceiro mais baixado do mundo - 614 milhões de vezes -, atrás apenas do WhatsApp (baixado 707 milhões de vezes) e do Messenger (636 milhões). A iniciativa chinesa está à frente do Facebook e do Instagram em número de downloads em 2019, segundo dados do site Sensor Tower.
Na prática, o TikTok é o único entre os cinco aplicativos mais baixados que não pertence a empresa de Mark Zuckerberg. O app é da ByteDance, startup fundada pelo chinês Zhang Yiming. A empresa fez uma série de movimentos estratégicos nos últimos anos até, no final de 2018, receber um aporte de US$ 3 bilhões do grupo japonês SoftBank. Com isso, seu valor de mercado chegou aos US$ 75 bilhões.

Negócio da Índia

Embora o app tenha conquistado uma grande fatia do mercado chinês, o maior crescimento recente de número de usuários foi na Índia. 277,6 milhões de downloads foram feitos por usuários do País neste ano - 45% do número global -, ainda segundo os dados do Sensor Tower. China e Estados Unidos aparecem na sequência.
O número de downloads do TikTok no EUA chega a 37,6 milhões no ano. Mais um fator de preocupação para Zuckerberg? O público do aplicativo chinês é formado majoritariamente pela chamada geração Z - que, justamente, tem deixado de lado redes sociais como o Facebook.
Recentemente, o CEO da companhia americana entrou numa ofensiva contra o TikTok. No lado ideológico, chegou a dizer que, enquanto os serviços da empresa dele são usados por manifestantes de todo o mundo, o TikTok censura menções a protestos.
Na quarta-feira passada (12), a versão brasileira do Instagram, também da companhia americana, lançou o "Cenas", uma ampliação do recurso de edição de vídeo, semelhante ao TikTok.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Post Ads